Skip to content

Megas Alexandros, segundo o faraó Ptolomeu

"Compreendam que a verdade nunca é simples. A verdade é que nós o matamos. Com o nosso silêncio, consentimos. Porquê? Não teríamos mais nada a ganhar. O que não poderíamos deixar de esperar era de sermos descartados. Depois de tanto tempo entregaríamos a nossa riqueza aos aduladores asiáticos que desprezávamos. Misturar raças, harmonia...

"Ele falava essas coisas. Mas, na verdade, Alexandre não queria outro povo para obedecê-lo. Eu nunca acreditei no sonho dele. Nenhum de nós acreditou. Essa é a verdade da vida dele. Os sonhadores cansam-nos. Devem morrer antes que nos matem com os seus malditos sonhos.

"Ele podia ter ficado na Macedónia, casado e constituído uma família. Teria morrido como um homem célebre. Mas isso não era para Alexandre. Durante toda a sua vida ele lutou para libertar-se do medo e, por isso, somente por isso, tornou-se livre. O homem mais livre que eu já conheci.

"A tragédia dele foi de crescente solidão e impaciência com aqueles que não o compreendiam. E se o desejo dele era de conciliar gregos e bárbaros, terminou em fracasso. Mas que belo fracasso! O fracasso dele superou os sucessos de outros homens.

"Eu tive uma vida longa, mas a glória e a lembrança dos homens irão sempre pertencer àqueles que perseguem metas ambiciosas. E o maior destes homens é aquele que agora chamam de Megas Alexandros, o maior de todos os Alexandres!"

Trackbacks

Nenhuns Trackbacks

Comentários

Exibir comentários como Sequencial | Discussão

Nenhum comentário

Adicionar Comentários

Les adresses Email ne sont pas affichées, et sont seulement utilisées pour la communication.

Para evitar o spam por robots automatizados (spambots), agradecemos que introduza os caracteres que vê abaixo no campo de formulário para esse efeito. Certifique-se que o seu navegador gere e aceita cookies, caso contrário o seu comentário não poderá ser registado.
CAPTCHA

Form options