Skip to content

Louis de Rougement: o maior mentiroso do mundo

O livro de Louis de Rougement 30 Anos entre os Canibais da Austrália causou sensação. Sociedades científicas convidaram-no a proferir conferências sobre as suas experiências, e no Museu de Madame Tussaud, em Londres, foi colocada uma figura de cera representando-o.

Em 1898 Louis descreveu na revista Wide World o seu naufrágio na costa noroeste da Austrália, os banquetes canibais em que participara, a casa de conchas perlíferas que construíra, os bancos de pelicanos que enviara com mensagens suas em 6 línguas e as tartarugas-marinhas, com cerca de 270 kg, que cavalgara. Também pretendeu ter-se curado de febres que o haviam atacado dormindo sobre o cadáver de um búfalo.

Quando foi denunciado como um embusteiro, o imperturbável Louis continuou a ganhar dinheiro, fazendo palestras na África do Sul, nas quais se descrevia a si mesmo como «o maior mentiroso do mundo».

Trackbacks

Nenhuns Trackbacks

Comentários

Exibir comentários como Sequencial | Discussão

Nenhum comentário

Adicionar Comentários

Les adresses Email ne sont pas affichées, et sont seulement utilisées pour la communication.

Para evitar o spam por robots automatizados (spambots), agradecemos que introduza os caracteres que vê abaixo no campo de formulário para esse efeito. Certifique-se que o seu navegador gere e aceita cookies, caso contrário o seu comentário não poderá ser registado.
CAPTCHA

Form options