Skip to content

Os anéis de Saturno

Cobrindo parcialmente o hemisfério norte do planeta, os anéis aparecem como um fino cinturão de luz, projetando sombra sobre o disco.

O planeta mais facilmente identificável é Saturno, que, apesar de refletir um brilho pouco intenso, pode ser observado sem telescópio. O que torna este planeta tão facilmente reconhecível é o sistema único de anéis luminosos concêntricos que lhe rodeiam o equador, semelhantes aos que apresenta a secção de um corte de tronco de árvore.

Saturno é um planeta enorme, cujo volume excede 740 vezes o da Terra, e apenas pouco menor é que o de Júpiter. Tal como este, é talvez composto principalmente de hidrogénio, apresentando um núcleo deste elemento em forma líquida ou metálica.

Saturno tem muitos anéis e satélites, as dimensões de um dos quais – Titã – quase equivalem às de Mercúrio. Observados de Titã, os anéis pareceriam compostos de partículas de pedra revestidas de gelo, retidas no campo de gravidade do planeta. Os anéis, cuja espessura é apenas de cerca de 16 quilómetros, têm um diâmetro total de 332 000 km. É possível que as partículas de rocha sejam os resíduos de um satélite, destruído por algum cataclismo.

A aterragem em Saturno, cuja temperatura (-160ºC) é inferior ainda à de Júpiter, implicaria os mesmos problemas que uma viagem a este planeta. O dia em Saturno não teria senão 10 horas e 15 minutos, enquanto um ano no mesmo planeta duraria uma geração em termos humanos – 29 anos terrestres.

Trackbacks

Nenhuns Trackbacks

Comentários

Exibir comentários como Sequencial | Discussão

Nenhum comentário

Adicionar Comentários

Les adresses Email ne sont pas affichées, et sont seulement utilisées pour la communication.

Para evitar o spam por robots automatizados (spambots), agradecemos que introduza os caracteres que vê abaixo no campo de formulário para esse efeito. Certifique-se que o seu navegador gere e aceita cookies, caso contrário o seu comentário não poderá ser registado.
CAPTCHA

Form options