Claudio Bravo Camus é homenageado com um Google Doodle

O Google Doodle desta sexta-feira, dia 8 de novembro, celebra o 83º aniversário do nascimento do estimado artista chileno Claudio Bravo Camus (1936-2011), que fundiu a técnica clássica dos pintores barrocos espanhóis com um toque do surrealismo de Salvador Dali.

Nascido em Valparaíso em 1936, Bravo cresceu numa fazenda em Melipilla. Depois de dançar na Companhia de Balé do Chile e atuar na Universidade Católica do Chile, ele aplicou os seus talentos às artes visuais. Apesar das objeções de seu pai, o artista em grande parte autodidata persistiu, exibindo suas pinturas numa conhecida galeria de Valparaíso aos 17 anos.

Na década de 1960, Claudio Bravo mudou-se para Espanha e tornou-se pintor de retratos com clientes importantes, incluindo a família do general Francisco Franco e os líderes filipinos Ferdinand e Imelda Marcos. Sua exposição de 1970 na Staempfli Gallery, em Nova Iorque, apresentou grandes naturezas-mortas de objetos misteriosamente mundanos pintados num estilo vívido e tecnicamente impecável, que lembra mestres como Velázquez. Ao mudar-se para Tânger, Marrocos, Bravo expandiu o seu repertório para retratos de animais e paisagens.

O trabalho do pintor chileno às vezes era comparado aos chamados pintores foto-realistas, mas ele não trabalhava com fotografias. “Sempre me dediquei ao assunto real”, disse ele, mencionando as pinturas abstratas de campo de cores de Mark Rothko como influência. “O olho vê muito mais do que a câmera: meios-tons, sombras e pequenas alterações na cor ou na luz.”

A arte do Doodle concentra-se na sua série icónica de pacotes misteriosos embrulhados em papel e amarrados com barbantes, o que lhe trouxe notoriedade a partir da década de 1960. As telas combinam a sensibilidade da Pop Art com o domínio de Claudio da pintura trompe-l’oeil, tão realista que pode “enganar os olhos”.

Uma retrospectiva de 1994 do trabalho de Bravo no Museu Nacional de Belas Artes, em Santiago do Chile, atraiu mais de um quarto de milhão de visitantes.

Claudio Bravo Camus morreu no dia 4 de junho de 2011, na sua residência em Tarudante, Marrocos, devido a dois ataques cardíacos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *