História da utilização dos amuletos

Um amuleto é uma figura, medalha ou qualquer outro objeto portátil a que supersticiosamente se atribui virtude sobrenatural para afastar uma influência nociva ou um perigo.

Os amuletos caldeus e egípcios tinham inscritos letras ou sinais mágicos e, muitas vezes, formavam colares. Entre os gregos, este adorno protetor chamava-se phylacterion. As filactérias dos hebreus, tiras de pergaminho com fragmentos da Lei, foram utilizadas como símbolo de piedade entre os fariseus, mas também como proteção considerada infalível contra toda a espécie de males.

Foi com este duplo caráter que o uso dos amuletos passou para a Igreja cristã, tornando-se tão corrente que no século IV se proibiu ao clero a sua confecção e venda, sob pena de suspensão das ordens sagradas; mais tarde, o seu uso foi solenemente condenado (721).

Com a divulgação da astronomia árabe, foi introduzido na Europa o amuleto ou talismã astrológico dos árabes.

Os muçulmanos usam amuletos curativos, que consistem, muitas vezes, em textos do Corão escritos sobre tiras de papel.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *